Notas sobre Olhos nos olhos
Por Jairo Severiano e Zuza Homem de Mello

  Letra 

Nenhum letrista brasileiro supera Chico Buarque na arte de escrever canções para personagens femininas. Numa entrevista à Rádio JB, em 16.5.90, ele afirmou: "fiz muitas músicas de encomenda para teatro. Nesses casos, mais do que os personagens, eu procuro saber quem é o ator ou a atriz que vai interpretá-las. Então, em minha cabeça, eu misturo a figura da atriz com a da cantora que gostaria que cantasse aquela música. Daí saíram canções como "Folhetim", que tem a cara da Gal. Mas às vezes a canção nem é para teatro, como "Olhos nos Olhos", que fiz para Bethania. Quando terminei "Olhos nos Olhos" eu disse: olha, esta música está a cara da Maria Bethania." Realmente uma composição melodramática como "Olhos nos Olhos" ("Quando você me deixou, meu bem / me disse pra ser feliz e passar bem / quis morrer de ciúme, quase enlouqueci... ") teria mesmo que ser cantada por Maria Bethania, tal como outras ("Sem Açúcar", "O Meu Amor", "Gota d'Água") que Chico deve ter feito pensando nela, pois até versos banais - como "olhos nos olhos, quero ver o que você faz / ao sentir que sem você eu passo bem demais" - ganham especial dramaticidade em sua voz rouca. Uma curiosidade: a canção não termina na tônica. Na tonalidade de lá maior, por exemplo, como está no livro Chico Buarque - letra e música, a melodia acaba na nota sol, sétimo grau da escala, o que dá uma sensação de que não termina.

Fonte: Livro 85 anos de Música Brasileira Vol. 2, 1ª edição, 1997, editora 34
 

Leia mais notas sobre Olhos nos olhos: